FANTÁSTICOS -  Rios

 

 

Recordes da Amazônia

 

Maior rio do mundo em volume de água: Amazonas, com vazão média de 200.000 metros cúbicos por segundo, o suficiente para encher 8,6 baías da Guanabara em um dia. O volume mínimo é de 100.000 metros cúbicos por segundo e o máximo, de 300.000 metros cúbicos por segundo.

 

O Rio Amazonas tem 6.868 Km de extensão (a mesma distância que separa a cidade de Nova York  da capital de Berlim). O ponto mais profundo do Rio Amazona chega a 120m, o que é suficiente para mergulhar a Estátua da Liberdade inteira (que tem 91,5m de altura).

 

Em alguns rios, a diferença  entre o nível da água na estação seca e durante a cheia é igual à altura de um edifício de 8 andares.

 

 

Rio maior do mundo

 

O rio Amazonas é o maior e mais largo rio do mundo e o principal responsável pelo desenvolvimento da floresta Amazônica. O volume de suas águas representa 20% de toda a água presente nos rios do planeta. Têm extensão de 6.437 quilômetros, vazão de 190.000 metros cúbicos por segundo (16 vezes maior que a do rio Nilo), conta com mais de 1.000 afluentes. Sua largura média é de 12 quilômetros, atingindo freqüentemente mais de 60 quilômetros durante a época de cheia. Na foz, onde deságua no mar, a sua largura é de 320 quilômetros. A profundidade média é de 30 a 40 metros. As áreas alagadas influenciadas pela rede hídrica do amazonas, formam uma bacia de inundação muito maior que muitos países da Europa, juntos. Apenas a ilha do Marajó, na foz do Amazonas, é maior que a Suíça.

 

 

Num único dia, o Amazonas despeja no Oceano  Atlântico mais água do que toda a vazão do Rio Tâmisa, em Londres, durante um ano inteiro. Só a Bacia do Rio Negro, um dos afluentes do Amazonas, tem mais água doce do que toda a Europa.

        

O volume de terra que o Rio Amazonas joga no mar é tão grande que, graças a esses sedimentos, o litoral da Guiana Francesa e do Amapá está crescendo. Esse crescimento, ainda não medido, já aparece em imagens de satélites.

 

Ao contrário do que se poderia imaginar, os rios mais feios da Amazônia, os de água barrenta, são as mais generosas para a vida na região. Carregam sedimentos que arrancaram da Cordilheira dos Andes e de outras regiões por onde passam. Na enchente, depositam  no solo esses sedimentos, adubado quilômetros nas vizinhanças do rio. Ali, as plantações nascem viçosas quando as águas baixam. Esses rios também têm mais peixes.

 

Os rios escuros, como o Negro, são muito mais bonitos, mas a água é ácida e pobre em nutrientes. Apenas 5% dos peixes vendidos em Manaus vêm do Rio Negro, que banha a cidade.

 

 

rios

rios, veja mais