ECONOMIA – Transporte Fluvial – Pará

 

Opções de Transporte

 

Na cultura da soja um dos itens mais importantes para o sucesso do empreendimento é o custo do transporte do local da produção até o mercado consumidor.

O Sudeste do Pará apresenta 3 situações de escoamento da produção: a atual, a de curto prazo e a de médio a longo prazo.

O escoamento atual é efetivado através de 230 km de rodovia asfaltada e 700 km de ferrovia até o Porto de Ponta da Madeira, em São Luis do Maranhão. Deste, segue por via marítima até o Porto de Rotterdã na Holanda, constituindo-se no momento o de mais vantajosa possibilidade de exportação comparado a outros pólos de soja no Brasil.

Vislumbra-se, a curto prazo, escoamento mais atraente com a conclusão da hidrovia no Rio Araguaia com incentivo da CVRD e, mais ainda, a médio e longo prazos com a construção das eclusas de Tucuruí, para que se construa a hidrovia Araguaia-Tocantins. Quando esta hidrovia estiver concluída o produtor poderá, também, embarcar sua produção no Porto de Vila do Conde, na cidade de Barcarena-PA.

 

Comparação de custos de transporte de soja em diferentes

Regiões Produtoras (1993) US$/t

DISCRIMINAÇÃO

REGIOES

Cascavel, PR 600 km

de Paranaguá

Diamantino, MT 2015 km

de Santos

Balsas, MA 1000 km do Porto Madeira

Frete Rodoviário

15.00

42.00

10.75

Frete Ferroviário

---

---

8.15

Desp. Portuária

8.00

11.00

4.40

SUB-TOTAL

23.00

53.00

23.00

Frete Marítimo p/ Rotterdã

17.00

17.00

14.00

TOTAL

40.00

70.00

37.30

 

 

 

 

Discriminação

Opções de escoamento

ATUAL

CURTO PRAZO

MÉDIO PRAZO

LONGO PRAZO

Via – PA 150

930 km do Porto Ponta da Madeira

Via – São Geraldo do Araguaia

1.095 km do Porto Ponta da Madeira

Via – Represa de Tucurui

943 km do Porto Vila do Conde

Via – Eclusas

1093 km do Porto Vila do Conde

Frete Rodoviário

6.18

3.49

4.03

---

Frete Ferroviário

9.50

9.50

---

---

Frete Fluvial

---

1.80

3.23

4.45

Desp. Portuária

4.40

4.40

4.40

4.40

SUB-TOTAL

20.08

18.47

11.66

8.85

Frete Marítimo

14.00

14.00

14.19

14.19

TOTAL

34.08

32.47

25.85

23.04

Fonte: CVRD

 

OPÇÃO ATUAL – ou via PA – 150. Consiste no escoamento a partir da área do pólo pela rodovia asfaltada PA – 150 num percurso de 230 km até a cidade de Marabá, onde passa a linha férrea e daí pela ferrovia percorre 700km até o Porto de Ponta da Madeira em São Luis, (MA).

OPÇÃO A CURTO PRAZO – ou via São Geraldo do Araguaia. Utiliza-se a partir da cidade de Conceição do Araguaia, o Rio Araguaia por 265 km até a cidade de São Geraldo do Araguaia.

Daí, por rodovia a ser asfaltada a PA – 153 alcança-se a cidade de Marabá em percurso de 130 km. De Marabá ao Porto de Ponta da Madeira utiliza-se a ferrovia numa distância de 700 km.

OPÇÃO A MÉDIO PRAZO – ou via represa de Tucurui. De Conceição do Araguaia num percurso de 265 km no Rio Araguaia até São Geraldo do Araguaia. Desse ponto por rodovia a ser asfaltada a PA – 153 numa distância de 130 km alcança-se Marabá.

De Marabá, pelo Rio Tocantins e represa de Tucurui até sua extremidade, na usina hidrelétrica, percorre-se 198 km e executa-se o transbordo para o Rio Tocantins à jusante, após a represa, por um anel rodoviário de 20 km ou por um bombeamento da soja em tubulação aproveitando o desnível, até as barcaças. Desse ponto segue por via fluvial num percurso de 330 km pelo Rio Tocantins até o ponto de Vila do Conde, em Barcarena, (PA).

OPÇÃO A LONGO PRAZO – ou via eclusas. Efere-se ao aproveitamento total da projetada hidrovia Araguaia- Tocantins utilizando-se as eclusas planejadas de Tucurui. Esse é um percurso fluvial total, de 1.093 km, de Conceição do Araguaia até o porto de Vila do Conde, em Barcarena, Pará.