PRAIAS            

 

Arquipélago das Anavilhanas

 

Considerado o segundo maior arquipélago fluvial do mundo (o maior é o de Mariuá, 300 quilômetros das Anavilhanas, também no rio Negro, localiza-se numa espécie de bolsão no Baixo Rio Negro, próximo ao município de Novo Airão, a 100 quilômetro acima de Manaus. São cerca de 400 ilhas de floresta densa, espalhadas em 100 quilômetros, formando um complexo que, visto no mapa, parece um espantoso labirinto de filetes e ranhuras longitudinais. À primeira vista, tem-se a impressão de que uma tripulação jamais seria capaz de tirar um barco dali.

Conhecido como o “coração da Amazônia”, abriga uma fauna que embora limitada em número, é rica em espécies, onde pode-se encontrar mais de 500 variedades de peixes. Muitos animais estão ameaçados de extermínio, como é o caso dos botos, das tartarugas e do peixe-boi, que continua a ser caçado de um modo bastante cruel: ao vir à tona, morre asfixiado por tampões introduzidos em suas largas narinas. Por esse motivo, tornou-se região protegida por lei federal que criou a Estação Ecológica das Anavilhanas, com 350 mil hectares. Os animais procuram lugares mais elevados para se refugiar na abril, quando metade das ilhas ficam submersas. É melhor visitar o arquipélago na época da vazante, entre junho e novembro. O acesso é feito somente por barco. Apesar do calor, praias de areias brancas igarapés que margeiam itaubaranas adornadas por orquídeas colorem esse arquipélago espetacular.           

 

 

PRAIAS        

 

Praia da Ponta Negra

 

Em uma cidade com temperaturas elevadas como Manaus, um dos prazeres é admirar o pôr-do-sol sentindo uma brisa fresca na praia da Ponta Negra, a quilômetros do centro da cidade. Um projeto de reurbanização valorizou a área, que é caminho para o Hotel Tropical. À noite, principalmente nos finais de semana, os bares e restaurantes do calçadão tornam-se o ponto de agito, quando casais de namorados, famílias e idosos dividem o espaço da orla. Um teatro de arena com capacidade para 15 mil pessoas oferece shows de música e dança regional, para completar o quadro. Durante o dia, funciona no local um complexo cultural e esportivo com quadras de areia, ciclovia, mirante, playground e posto médico.