MALÁRIA

 

Para saber mais: (click)

MALÁRIA

 

Malária

 

Agente – Parasitos (gênero Plasmodium) encontrados nos glóbulos vermelhos e células do fígado do homem.

Transmissão – Inoculação de formas infectantes durante a picada de mosquitos fêmeas do gênero Anopheles.

Patologia – Acesso febris, calafrios e suor. A forma mais grave causada por P. falciparum pode levar à morte, P. vivax e P. malarie provocam anemia.

 

MALÁRIA

 

País deve gastar US$ 16 milhões com malária.

 

A malária pode ter custado ao país US$ 13,5 milhões em 99. Em 2000, com o crescimento da epidemia, os gastos podem alcançar US$ 16 milhões.

O cálculo foi feito pela Folha a partir de um estudo da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) que mostra um investimento de US$ 21,49 para tratar cada pessoa atingida pela doença em 96. Nos últimos quatro anos, os custos não se alteraram significativamente.

No entanto, a doença cresceu. Em 96, foram registrados 446 mil casos. Em 99, foram 630 mil casos. Este ano, apenas até fevereiro, a Fundação Nacional de Saúde já registrou 130 mil casos.

O estudo da Opas mostra que o projeto de controle da malária na bacia amazônica conseguiu evitar, em 96, 235 mil infecções – o que fez o governo brasileiro economizar, em internações, tratamentos e licenças para tratamento pagas para a Previdência, US$ 5 milhões. Entre 89 e 96 – os anos analisados pela Opas – a economia chegou a US$ 44 milhões.

Os custos analisados pela Opas levam em conta apenas os gastos imediatos dos governos com cada doente. Não calculam, por exemplo, os prejuízos causados ao turismo, lavouras e à economia dos locais onde há uma epidemia de malária. “Um município que vive do turismo e fica conhecido pela epidemia perde uma enorme fonte de renda”, diz o diretor do Centro de Controle de Epidemias da Funasa.

Um outro estudo, feito pelo médico norte-americano Jeffrey Sachs, diretor do Centro de Desenvolvimento Internacional da Universidade de Harvard (EUA), mostra que países livres da malária têm um PIB (Produto Interno Bruto) três vezes maior do que os atingidos pela doença.

A África é usada como exemplo no estudo. Os países africanos atingidos pela malária teriam um PIB 32% maior – ou mais US$ 100 bilhões – se a doença tivesse sido controlada há 35 anos.

Atualmente, 1 milhão de pessoas morrem de malária na África. No Brasil, em 98, morreram apenas 162 pessoas, apesar dos 630 mil casos registrados.

Os governadores dos nove Estados da Amazônia Legal (Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), responsável por 99,7% dos caso registrados no país, reuniram-se em 11 de julho de 2000 com o presidente FHC e o ministro da Saúde, José Serra, para discutir a implantação do plano emergencial de combate à doença.

MALÁRIA        

 

Medicar cedo reduz morte infantil em até 40%

 

Um programa que treinou mães para reconhecer os sintomas da malária e medicar seus filhos precocemente reduziu as mortes pela doença em crianças com menos de 5 anos em até 40%. O estudo, da Universidade Johns Hopkins (EUA), saiu 11/08/00 na revista “The Lancet”. Dois terços dos mortos anuais por malária (1,1 milhão) são crianças.

 

MALÁRIA

 

A malária está com os dias contados

 

Equipe desvenda ataque do parasita da malária

 

Pesquisadores dos NIH (Institutos Nacionais de Saúde dos EUA) desvendaram o meio usado pelo parasita da malária para invadir as células do sangue. O achado pode permitir novos tratamentos para a doença, que afeta cerca de 400 milhões de pessoas por ano.